Asas
“Asas para que vos quero?”

Talvez para um vôo pelo mundo...

Quem sabe, para um mergulhar profundo...
Ou talvez para chegar até o mar.

Esses mares nunca antes navegados...

Esses mares, com lembranças do passado,

De frágeis naus, a lhe desafiar.


Asas, da imaginação do navegante,

Que pelo mar viu monstros horripilantes,

E se encantou com sereias a cantar.


Asas, que deram a Ulisses força de voltar,

Que a fúria de Poseidon sobreviveu,

Para realizar o objetivo, sonho seu,

De, para sua bela ítaca, retornar.


Assas, que tenho em meu viver,

Qual gaivota, e que me faz vencer,

Toda tormenta de nuvens,

Que possam, um dia, meu céu ameaçar.

“Asas, pra que vos quero?”

Vos quero...simplesmente...

Para poder voar...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O SAGITÁRIO

Nunca diga que algo é impossível